Bem me parecia

Até Onde se Pode ir? de David Lodge Passei uns tempos a batalhar com a minha memória e com factos circunstanciais por causa de um livro. A minha memória dizia-me já ter visto uma tradução em português, os factos – espiolhando a carteira dos dois editores nacionais do autor – diziam-me que não, que não havia.
Devo ter cometido algum erro de simpatia. Afinal é da Gradiva. Recomendo o livro ao AAA do Blasfémias se por ventura ainda não o leu.
Sobre David Lodge, o Luis avança com a novidade de um novo romance.
Quanto ao “Até onde se pode ir?” fiquem com a promoção da Gradiva em anexo ao post.

Por um lado, havia as regras e os ditames da Igreja Católica tradicional e, por outro, os apelos da sociedade permissiva. Polly, Dennis, Angela e Adrian atravessam uma época marcada pelo advento dos Católicos para Uma Igreja Aberta, pela difusão da pílula e pela extinção do inferno. Para eles (e para todos aqueles que os acompanham na caminhada para os anos 70) o mais difícil será manterem intocada a sua virgindade espiritual — até onde poderão ir?

«Uma obra ambiciosa e mordaz sobre as falsas panaceias que minaram o cristianismo.»
Sunday Times

«Uma complexa e brilhante comédia negra.»
Time Out

«Hilariante […] um livro magnífico.»
Graham Greene

VENCEDOR DO PRÉMIO WHITBREAD BOOK OF THE YEAR

  1. Curiosa a temática deste último livro de David Lodge; é que estou a ler, do mesmo autor ‘Um dia o Museu Britânico vem abaixo’ que gira à volta da angústia de Mr. Adam, dividido entre o desejo de uma sexualidade sem prisões e os mandamentos da Igreja Católica, anos 60 – hilariante, sem dúvida :))

  2. No “Até onde se pode ir?” tambem se aborda essa questão mas talvez de uma perspectiva mais sociológica; acompanha-se o crescimento de uma geração desde o anos 50 até aos nossos dias. O livro é de 1980.

  3. O que era preciso é que não estivesse esgotado…não sei há quantas luas…
    :/

  4. Hoje passei por uma livraria e disseram-me que está esgotado há muito tempo…. queria levar para ler nas férias… Ainda continuo a ler “Terapia”… muito bom!!! Talvez não seja o mais bem humorado mas toca diversos temas.

  5. Gotinha:
    A minha moça fez hoje uma investigação exaustiva – via telefone – para várias livrarias e alfarrabistas de Lisboa e Porto e não teve sorte. Está s esgotado há pelo menos 2 anos…

  6. De que estarão à espera??! E que tal se fizéssemos um abaixo assinado como David Lodge Fans??!? Não haverá outra editora??!
    Tou tiste!!