Tabu? Qual tabu?

A ler A LEGALIZAÇÃO DA PROSTITUIÇÃO

A minha opinião? Legalize-se e regule-se, já! Deixemos a moral para quem é de “moral”. Só vejo vantagens: melhores garantias de saúde pública, melhor defesa da dignidade humana (com o colateral combate ao tráfico de pessoas), enquadramento económico da actividade (cobrança de impostos e atribuição de direitos ao nível da segurança social), melhor acesso ao sistema judicial, etc, etc, etc.
Uma questão bem menos problemática do que a da legalização da produção e distribuição das drogas e, ainda assim, igualmente proscrita das vontades de mudança deste mundo.

3 thoughts on “Tabu? Qual tabu?

  1. Peixoto

    Legalizar é seguir o caminho do facilitismo… Prefiro a ilegalização “pura e dura” à opção facilitista e permissiva de legalizar o tráfico humano…

  2. Rui MCB

    Hã!?
    Legalizar o exercício da prostitiuição e regulamentá-la (como qualquer outra prestação de serviços) é legalizar o tráfico humano?

  3. Luís Bonifácio

    Pois é caro Rui, concordo a 100%. Mas lembro-me uma vez que questionaram as prostitutas de rua e elas também concordaram, mas quando se lhes perguntou se concoradariam em pagar impostos, aí todas elas responderam nem pensar.
    Também foi entrevistada uma conhecida feminista da nossa praça, ex-deputada PSD e PS, que à pergunta sobre a inspecção sanitária ela respondeu “Isso estaria fora de questão, a MULHER não pode ser tratada como gado”.
    A legalização das drogas é um assunto complexo, mas acho que deve ser discutido. Talvêz após as tuas merecidas 3 semanas de férias poderemos trocar uma ideias sobre o assunto.
    Boas Férias

Comments are closed.