Uma grande adufada para o Sérgio Figueiredo

Nem sempre concordo com este ilustre economista da minha escola mas hoje ia alí à loja comprar um chapéu só para a seguir o tirar em sua honra.
Servem estes encómios para destacar o artigo de hoje no Jornal de Negócios, o autor chamou-lhe PECadores fiscais eu sugeriria a citação de Leonardo Ferraz de Carvalho que surge a linha tantas no artigo “Tantos fiscais – os que pagam e não estrebucham. Na qualidade de TANSO FISCAL que ganha menos de 1000 € por mês e paga mais de IRS do que algumas dezenas de taxistas pagaram por junto nos últimos cinco anos só posso agradecer editoriais como este. Fica um cheirinho; a obra completa está aqui.

“96% dos mais de 11 mil taxistas deste País não paga sistematicamente IRC. Por isso, vamos falar claro: aqueles senhores que ameaçam sitiar Lisboa e Porto na próxima quinta-feira são, na sua esmagadora maioria, evasores fiscais.

Por si só, isto já deveria ser suficiente para ver a classe inteira ser perseguida pela Justiça. No entanto, têm a honra de ser recebida pela senhora ministra do Estado e das Finanças. Por duas vezes, em dois dias úteis consecutivos.

Causa um certo arrepio imaginar que este Governo possa cair na tentação dos anteriores, satisfazendo aqueles que mais berram e não aqueles que mais merecem. Não é um temor meramente retórico: é só transpor para o pagamento especial por conta (PEC) o espectáculo da criação dos novos municípios.

Canas de Senhorim no fisco? Era o fim da picada. Ceder aos taxistas até pode evitar os cortes de estradas e um bloqueio na cidade. Mas haveria melhor incentivo à delinquência fiscal generalizada? Se a ministra Ferreira Leite desse o dito por não dito, se vacilar, se recuar, haverá alguém que continue a pagar impostos neste País?”