Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0



O que é o alarme social, afinal?

O que é o alarme social? Para um leigo em leis vejo isto e fico alarmado e desarmado quanto ao que posso dizer aos meus filhos. Um oficial da polícia é filmado a desencadear uma situação de agressão física a quem, tudo parece levar a crer, mais não pode ter conseguido fazer do que agredi-lo verbalmente. Não, não se pode agredir verbalmente um polícia e há punição para isso, mas no caso, como se verificou pela pronta avalanche de polícia de intervenção presente, a agressão é inaceitável a todos os títulos.
Como é que isto se consegue perceber? Por mais ofensas verbais que o senhor polícia tenha ouvido isto é inaceitável. E um bom motivo para temer ficar à guarda das autoridades num jogo de futebol. Espero que a história tenha sequência disciplinar e que o desfecho seja público.

A verdade é que neste como em outros casos, um agente da autoridade, um seu oficial, a fazer o que parece ser uma brutalidade, sendo filmada, pode fazer muito estrago à imagem pública de uma instituição. Mas mesmo assim, nada que se compare a uma resposta errada dessa mesma instituição perante o erro grosseiro comprovado e, creio que, infelizmente, repetido, recorrentemente. E falo numa resposta, quer quanto ao caso concreto, quer quanto a uma revisão dos procedimentos de recrutamento e formação utilizados. Já são muitas bestas mais ou menos filmadas de que vou tendo relato direto e indireto.
O que é que eu digo aos meus filhos que vão assistir a esta cena?

Será que é seguro, por exemplo, ir à sempre confusa final da taça de Portugal (para manter a coisa no futebol)… Devo aproximar-me ou afastar-me das forças polícias em caso de complicações?

Entretanto chegou já uma resposta da direção do PSP:

Resposta @DNPSP enviada por Dir. Com. @DNPSP para @TSFRadio:

“A seu tempo e com a distância necessária do foco faremos a necessária análise com as consequências que dai advirem. Num contexto de festa e onde os excessos são inúmeros, é preciso avaliar um conjunto de variáveis que necessariamente serão consideradas em sede própria.”

Via @paulojbtavares

Fico com a sensação que fosse qual fosse a evidência, a resposta seria sempre esta. A mensagem não diz nada. Mas há casos em que a evidência é avassaladora. É muito difícil imaginar o que pode justificar isto. Muito mesmo e, neste momento, a @DNPSP já sabe exatamente o que se passou. Mal de nós se não souber.
Mas aguardemos, sendo que a espera neste caso é em si um problema.

O tal do alarme social neste caso não releva?

Fico a aguardar pelos desenvolvimentos, públicos e notórios.