Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0



António Colaço: O que ele andou para aqui chegar

O nosso amigo e co-autor do Adufe, António Colaço, vai mudar de casa, deixando após 21 anos as lides parlamentares na qualidade de assessor de imprensa do PS. As artes, a rádio, a família e sabe-se lá mais o quê hão-de animar-lhe os dias. Este é o momento de lhe dar os parabéns pela missão cumprida e agraceder-lhe pela parte que nos toca, afinal quem toca assim os jornalistas parlamentares só pode ter estado ao serviço da pátria, verdadeiramente a bem da nação (com o cravo sempre presente). Não deixem de ver a homenagem de, entre outros, Maria Flor Pedroso, Nuno Simas, Anabela Neves… (cliquem aqui).

O artista sem nome que insiste em nos animar

A vida de António Colaço não se resume ao cargo de assessor de imprensa do PS no Parlamento (tarefa que vem desempenhando há décadas). Sendo certo que este miliciano de Abril que serve o actual partido de governo no nobre casa é um exemplo que tempera um pouco o gamanço reinante abaixo referido, retenho aqui hoje que este vizinho da blogoesfera que já fez desta a sua casa provisória, termina, por estes dias, na Associação 25 de Abril com uma belíssima exposição, os 30 anos do projecto ânimo. Um projecto que se confunde com o seu mentor e que adivinho virá a ganhar impulso tremendo com a novidade pendente de que o amigo António se prepara para dar por findas as suas funções na nobre casa. Artista plástico sem nome na praça (um epíteto que corre o risco de se tornar frase de guerra) encontrará sempre uma praça que o mereça.
Ontem, tive o prazer de passar pela Associação que recebe este artista Amador para o parabenizar, provar o seu licor de poejo e, para minha surpresa, receber mais um símbolo da sua simpatia para connosco: uma pequena tela de ânimo dourado que estimarei.
Vamos nos vendo por aí e por aqui. Forte abraço.