Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0


Archive for the ‘Web’


CSI Lx

"(…) De acordo com o blogue Lx Repórter, do jornalista Miguel Marujo, que avançou com a hipótse de Portugal entrar na rota da série, distribuída pela cadeia televisiva CBS, Lisboa tem a concorrência de Barcelona, que também se perfila como candidata a servir de cenário às investigações da equipa liderada por Horatio Caine. (…)"

In Portugal Diário

Também em Portugal, há blogues de jornalistas onde se faz jornalismo. Já conhecia o LX Repórter do vizinho Miguel Marujo

Do jornalismo de causas, ou como não embarcar em cauboiadas sem analisar bem a questão

Quem diria… Parece-me que afinal o país não fala mesmo em uníssono na questão do Caso Esmeralda, agora já nem os jornalistas, já nem todos os jornalistas, alinham na causa que foi erguida como bandeira. A crítica chega a Editorial na Sábado, por exemplo.

Por um momento, e apesar de uma forte orientação dos media (de uma parte dos media: DN, TVI, RTP, entre outros), em prol de uma corrente de opinião extremamente crítica e com objectivos de mobilização popular, surgiu talvez uma algo inesperadamente resistência.

Os juízes, talvez por ainda não estarem habituados à lide de comunicar o seu trabalho com as massas, tentaram, algo atabalhoadamente, ultrapassar o intermediário e piscar o olho ao público, directamente. No meu caso e no de muitos outros bloggers resultou. Quando alguém nos oferece um mundo a preto e branco, não faz mesmo mal nenhum investigar, não para nos enlearmos em relativismos sufocantes, mas para evitarmos os voluntarismos criminosos. Aprendi isto a ver westerns, vejam bem!

(continua)

Desafio à vizinhança – Qual é o seu jornalista favorito?

  • Nestes tempos de considerável acrimónia entre alguns bloggers e alguns jornalistas;
  • Nestes tempos em que há entre muitos jornalistas o "regresso" da prática do jornalismo de causas;
  • Nestes dias em que se repetem acusações cruzadas entre jornalistas e juízes;
  • Nesta época em que a existência de uma Entidade Reguladora para a Comunicação Social é tudo menos um corpo aceite;

Por estas horas de divisão e de alguma perplexidade mútua, proponho um desafio singelo:

Caro blogger, tenha a coragem de escolher pelo menos três jornalistas portugueses vivos e no activo que admire, justificando as suas razões se assim o entender. Não prometo compilar respostas ao estilo de uma qualquer competição para eleger o melhor, mas gostaria sinceramente que houvesse quem se dispusesse a trocar umas ideias sobre o assunto (naturalmente os jornalistas estão também convidados). Quem é para o caro leitor digno de ser referência no jornalismo nacional contemporâneo?

Num futuro post revelarei as minhas escolhas do momento. Haverá mais quem se atreva?

Language is a virus from outer space

Este só podia ser dedicado ao Luís Carmelo e à vizinhança em geral.
A imagem é difusa…


de Laurie Anderson

The Certainty Of Chance

Isto de um tipo se envolver em polémicas cruzadas geradoras de grande emotividade é desgastante, como é evidente. Já há uns tempos que não debitava tanto caracter por hora (ou palavra dita) em tão curto espaço de tempo – posts, comentários aqui e acolá, respostas a e-mail, conversas coloquiais. O essencial que teria a dizer e julgo que a pensar sobre os dois temas está dito e em muitos casos repetido. Nem o que se dirá hoje no Prós e Contras da RTP (caso esmeralda), nem o que aí virá de surpreendente (caso jornalista "raptada") terá grande relevo para o enfoque pessoal que escolhi para abordar os temas. A haver mais caracteres sobre essas matérias, será para tentar expressar qualquer outra coisa sobre uma abordagem distinta.
E agora antes de ir ninar mais uma musiquinha com bonecos – The Divine Comedy com The Certainty of Chance
 

Mantendo o suspense?

Lia-se n'O Insurgente há dois dias (é possível que faça parte da novela):

Dentro de um ou dois meses estará à venda o novo romance de Luis Carmelo, intitulado “E Deus Pegou-me Pela Cintura”.

 

Read More

Como as cobaias são divertidas

guinea_baby_1.jpg

Não sei o que seria mais previsível, se a carneirada dos que foram atrás de quem tinha credibilidade (estive assim de embarcar no rebanho); se a indignação que por aqui vai e que começa a pontuar o espaço de outros vizinhos; se a posição "a ver do alto" que o cientísta social Luís Carmelo agora adopta, deliciando-se com as "suas" cobaias. E "ainda a procissão vai no adro" afirma.

Felizmente, os actos ficam com quem os pratica e não faz mal a ninguém reconhecer-lhes a autoria.
 
Imagem retirada daqui

Hoax – Hocus pocus

Uma das principais fontes de lixo na web são os hoaxes. O que é um hoax? Lembra-se daquele e-mail a avisar para ver se tem um ficheiro xpto no seu disco e que se sim é um vírus que tem de apagar imediatamente? Ou daquele outro a avisar que a marca abcd (que acaba por ser promovida negativa ou positivamente) está a oferecer telemóveis a quem reenviar o e-mail a mais 10 pessoas? Ou ainda um pedido urgente de sangue do tipo raríssimo AB RH – indicando-se contactos inexistentes ou provando-se um pedido falso quando se investiga a coisa ? Um hoax da vida real gravíssimo acontece todos os dias quando a malta nova liga para o 112 indicando falsas urgências.

A Wikipédia (que também dissimina hoaxes de quando em vez) explica com detalhe aqui o que é um hoax. Um hoax bem sucedido pode perdurar anos e anos gerando controversia e falsas informações e chegando a  entupir ou atrasar as comunicações, sendo em muitos aspectos mais pernicioso do que o spam. O Hoax é uma das armas tipicamente utilizadas pelos terroristas da net.  O artigo da wikipedia começa assim: 

"A hoax is an attempt to trick an audience into believing that something false is real. There is often some material object (e.g., snake oil) involved which is actually a forgery; however, it is possible to perpetrate a hoax by making only true statements using unfamiliar wording or context (see DHMO). Unlike a fraud or con (which usually has an audience of one or a few), which are made for illicit financial or material gain, a hoax is often perpetrated as a practical joke, to cause embarrassment, or to provoke social change by making people aware of something. Many hoaxes are motivated by a desire to satirize or educate by exposing the credulity of the public and the media or the absurdity of the target. For instance, the hoaxes of James Randi poke fun at believers in the paranormal. The many hoaxes of Alan Abel and Joey Skaggs satirize our willingness to believe the media. Political hoaxes are sometimes motivated by the desire to ridicule or besmirch opposing politicians or political institutions, often before elections. (…)"

Credibilidade, vítima de golpe publicitário engraçadinho, abandona blogoesfera Lusa

clown.jpgA última coisa de que precisavamos por aqui era de teatrais golpes de marketing patrocinado pelos bem humorados decanos de 2003 (e por mais alguns incautos) brincando com falsas indignações por suposta omissão jornalística (em torno de um hipotético rapto de uma personagem de um romance que por sinal é jornalista).

Talvez a minha sensibilidade ou falta de humor e de disponibilidade para estas brincadeiras esteja particularmente afectada por estarmos num momento em que há uma outra peça em cena da vida real, em torno de uma criança, dos direitos de paternidade e de uma adopção à margem da lei, que tem, essa sim, brincado com os sentimentos de muitos concidadãos e colocado em risco mais um pouco da imagem da justiça, sob o patrocínio da uma das mais inacreditáveis coberturas dos nossos intermediários habituais que têm por ofício dar notícia imparcial e fundamentada. 

Era neste momento particular que uma parte da nossa blogoesfera que tem algum orgulho em contribuir de forma crítica e construtiva para a produção e difusão da informação neste país poderia dar provas da importância do seu papel, denunciando a completa distorção dos factos presentes na generalidade dos órgão de informação e apontando o caminho para aquilo que efectivamente falhou e deveria estar sob escrutínio público e eventualmente a ser alvo da indignação popular.

Mais uma vez renovo o convite para que leiam pelo menos o resumo do acordão do tribunal de Torres Novas que condenou o arguido a 6 anos de prisão efectiva por crime de sequestro agravado e de subtracção de menores (um desafio que envio em especial ao nosso Crítico musical).

Voltando ao happening, cá vão mais dois parágrafos de "má" publicidade:

Péssimo timming caro Luís Carmelo. Pior era impossível. Houvesse originalidade para se brincar com outra coisa ou um mínimo de escapatória para que o ludibriado se desenganasse (apenas o vi ser feito claramente pelo Eduardo Pitta e pelo Paulo Querido que deu uma boa pista falsa para quem a quisesse seguir – ver os comentários ao post).

O seu romance precisará mesmo de explorar a já proverbial predisposição crítica de blogoesfera face aos media para vender bem? Ainda se ao menos a brincadeira não tivesse fito comercial teríamos atenuante. Teremos? Eu sugiro desde já que a receita reverta para um seguro de responsabilidade civil em favor dos bloggers portugueses; nunca se sabe quando algum de nós fará algum disparate.  Enfim, boa sorte para o seu romance, seguramente, é de estalo. Shame on you, all.

A partir de hoje: todo o Adufe, aqui (act.)

Desde que abandonei o adufe no weblog.com.pt que este perdeu os seus arquivos históricos. A aventura na Irlanda foi feita de mochila às costas, com pouco lastro.

Desta feita e até porque julgo que o endereço é para durar (enquanto durar o adufe, se tudo correr bem) fiz o esforço de espiolhar os truques e de pedir ajuda quanto às questões mais técnicas… e ai está. Contente por ter a biblioteca que fui escrevendo comigo, o Adufe 4.0 é hoje o Adufe desde "O que é um baião-de-dois?"

Pelo caminho perderam-se algumas imagens e os comentários deixados pelos estimados leitores no adufe.blogsome.com que não arranjei maneira técnica de "enfiar" nos artigos certos. Mesmo assim há actualmente 4,209 artigos e 6,966 comentários, distribuídos em 34 categorias neste blogue. Mas não é pelas estatísticas que cá venho, nem o caro leitor, certamente.

Bem hajam pela companhia!

Um agradecimento particular aos que na última semana actualizaram as ligações para o novo endereço e/ou referiram a mudança (em actualização). A saber:

http://100nada.blogspot.com/

http://aartedafuga.blogspot.com/

http://almajecta.blogspot.com/

http://almocrevedaspetas.blogspot.com/

http://ascoisascomoelassao.blogspot.com/

http://cibertulia.blogspot.com/

http://claras-em-castelo.blogspot.com/

http://criticomusical.blogspot.com/

http://fartodisto.blogsome.com/

http://gasolim.blogs.sapo.pt/

http://geracao-rasca.blogspot.com/

http://gestaomarketing.blogspot.com/

http://ideias-soltas.net/

http://www.joseraposo.blogspot.com/

http://kontratempos.blogspot.com/

http://memoriavirtual.net/

http://misspearls.blogspot.com/

http://mouronacosta.wordpress.com/2007/01/10/o-ano-do-bloguepontocom/

http://o-andarilho.blogspot.com/index.html

http://oescaninho.blogspot.com/

http://oescudo.blogspot.com/

http://oinsurgente.org/

http://pauloquerido.net/

http://porterrasdoreiwamba.blogspot.com/

http://povodebaha.blogspot.com/

http://retorica-pt.blogspot.com/

http://revisao-da-materia.blogspot.com/

http://ruadajudiaria.com/

http://sempenisneminveja.weblog.com.pt/

http://snowgazestarkiss.blogspot.com/

http://tempodosassassinos.blogspot.com/

http://timoteoshel.blogspot.com/

http://tugir.blogspot.com/

http://velalatina.blog.pt/

http://vidabreve.wordpress.com/