Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0


Archive for the ‘Mimos’


Ergue-se o cálice em honra dos vencedores

Mas que pomada! No cálice restava apenas um gole cor de caramelo daquele inacreditável moscatel. Venâncio da Costa Lima, Reserva 2006. Cada gota fazia questão de se expandir com estalo pelo palato, aquecendo com a amplitude de uma névoa todas as papilas conhecidas e já esquecidas que ocupavam aquele palco de eleição.

Vasco fez-se a ele e virou o copo sobre a mesa em sinal de remate.

O Sporting voltara a ganhar com classe e empenho, vingando-se do digno Setúbal que assim, naquele néctar, fazia a vénia devida ao vencedor.

Saúde!

O pena de 8uro,5 milhões (act.)

Ontem divulguei no Facebook o vídeo dos comentários pré-jogo Benfas-Sãderlan da SportTV. Hoje querem disciplinar os comentadores/jornalistas que se julgavam em off. Acontece que alguns benfiquistas que se reviram no escape trocista se estão a solidarizar com os jornalistas. Uns porque também acreditam na razoabilidade de a bola cor de laranja poder estar a revelar uma situação de daltonismo, outros porque desconhecem de que é feito o enchimento do calçado do ex-futuro titular das balizas do clube de Luís Filipe Vieira.
Eu recordo o Jorge Perestrelo em ON que era muito mais cru e verdadeiro do que estas piadolas na Sporttv.
Enfim, entretanto na Itália parece que vão deixar de dar repetições do futebol. Deve haver muitos guarda-redes de 8,5 milhões a jogar na série A. Se a moda pega lá se vão as transmissões do Benfiiiiica, sem soluços, pelo menos.
Por um décimo das penas se zurziu sobre Ricardo…

Tomate dois em um

Há qualquer coisa de inspirador nos tomates. Estes por exemplo são um modelo híbrido, cuidadosamente desenvolvido no mais fantástico e competente laboratório do mundo.
O que seria da culinária mediterrânica sem eles? O que seria do mundo sem os tomates.

Bom fim-de-semana e bons cozinhados.

Sobre o Partido Nulo, o agendamento mediático e o jogo do galo

Imperdível, a ler: O interesse editorial pelo jogo do galo

A prova que faltava: há petróleo em Portugal

Eis porque temos de nos livrar da União Europeia

O vídeo que se segue é uma “tradução livre” de um sketch dos Monty Pyton feita por alguns membros do MEP.

Até morrer Sporting, Allez!

Pronto, agora que já passaram dois dias e que já contei um milhão de vezes até 10, vou falar da final da taça da liga. A tal que entrou para o palmarés do Benfica, a tal que daqui a 100 anos, acreditam, ninguém se lembrará [que existiu] como foi ganha.

Bom, então é assim. O árbitro do encontro foi um grandessíssimo filho de um Baptista. Um Lucílio que apetece mandar ir apanhar no Baptista. Um…dois…três…dez.

Ontem, conta-me uma insuspeita portista, num final da missa domingueira numa paróquia no centro de Lisboa, o senhor padre rematou a função com o habitual “Ide em Paz e que Deus vos acompanhe“, ao qual acrescentou algo nos seguintes termos: “Aproveito ainda para vos anunciar que, enquanto for responsável por esta paróquia, não faço intenções de baptizar nenhum menino chamado Lucílio. Queiram dispor para tais propósitos de uma paróquia vizinha.Amen.
ADENDA: Mas onde é que o Diário IOL “Padre em Lisboa recusa baptizar crianças com nome «Lucílio»” foi buscar esta história?
E o Público, onde foi? Hum, Hum? “Padre em Lisboa recusa baptizar meninos com nome Lucílio“.
Só tenho pena que seja mais fácil esta história engraçada chegar aos media do que qualquer um destes singelos e tantas vezes avisados comunicados. Não vende… Enfim, vamos à missa? À Igreja do Rato naturalmente. Ah, já agora convem sublinhar que o Padre estava a brincar, BRINCAR.

On poverty and life around the world

Absolutamente imperdível a actualização de Junho de 2007 da espantosa apresentação de Hans Rosling sobre “New insights on poverty and life around the world“. Não há nada melhor para derrubar velhos paradigmas de categorização do mundo.
Parece-me adequado celebrar com os 18 minutos da apresentação a memória da Charles Darwin, hoje no seu ducentésimo aniversário.

Com carinho e com afecto

Quis o impulso da ocasião, patrocinado por estar pelas redondezas, providenciar a este que vos escreve uma breve mas rica visita guiada pelos passos do convento de São Bento, nossa Casa da Democracia.
A pretexto de um café ofereceu-se com a simpatia e disponibilidade habituais que dedica aos amigos este bigodes que se apresenta na foto anexa. António Colaço, assessor de imprensa do grupo parlamentar do Partido Socialista vai para… muitos anos, com o desportivismo que se enaltece, recebeu este putativo deputado MEPiano com honras de cidadania completa.
Obrigado pelo cafézinho e pelos votos. Haja quem queira acreditar que os há bons e interessados pelos quadrantes políticos que vamos tendo e haja, já agora, quem esteja disposto a diversificar os votos.

António Colaço

Por falar em MEP, fiquei ontem a saber que há um MEP no Bloco de Esquerda, ignorância da Lusa, distracção do jornalista e da RTP? Seria de bom tom reservar a sigla que é do novel partido para esse mesmo partido. Já é difícil quanto baste conseguir chegar aos ouvidos de quem pretendemos representar quanto mais com estes lapsos. Imaginem que a PSP voltava a representar Partido Socialista Português, agente assim não se entende, não é verdade? Ou para evitar confusão teremos de passar a chamar-nos ME? Ups. Isto faz lembrar qualquer coisa… ME, BE… Cumprimentos aos jornalistas parlamentares, vale amigo Colaço? 😉

Inibições de candidato

Isto de ser candidato a umas eleições de âmbito nacional é complicado. Agora, por exemplo, não posso vir para aqui mandar bocas aos campeões de inverno e outras invenções peregrinas de tal índole, senão ainda perco preciosos votos. O politicamente correcto é lixado. Como bem sabeis, o manual de boas práticas político-desportivas dita que o candidato, ou não tem clube, ou então deixa escapar, meio disfarçadamente, que é do Benfica. Eu por exemplo, sou por este Benfica desde pequenino.