A praxe aos novos partidos

Há imensas peripécias numa campanha que nunca chegam a ser notícia e, provavelmente nem o mereceriam. Há outras que ocorrem ainda antes da campanha se iniciar, nos seus preparativos, que justificam pelo menos um sinal, um dar nota. Refiro-me a uma espécie de praxe que alguns governos civis e câmaras municipais dedicam aos partidos novatos como o MEP.

bus_maqueta2Passo a explicar: amanhã às 12 horas o MEP inicia uma volta a Portugal que terminará no próximo dia 5 de Junho. Serão mais de 3500 km de estrada percorridos num autocarro com um impressionante cartaz do MEP e da Laurinda Alves como pdem ver na maquete acima. Ora no decurso da campanha pretendemos estacionar em cerca de 60 locais diferentes um pouco por todo o país, tipicamente por períodos de uma hora, uma hora e meia. Para o efeito comunicamos antecipadamente com as autoridades. Algumas resolveram pôr à prova os nossos conhecimentos da lei da República, recusando o estacionamento de curta duração em praças e ruas onde frequentemente se realizam manifestações populares, espectáculos, enfim, se vive a vida e a nossa democracia. Em regra, a demonstração de conhecimento da lei e uma ameaça de queixa à Comissão Nacional de Eleições produzem milagres mas fica o registo desta praxe que, como tantas outras que se realizam neste país, são inteiramente dispensáveis.

Com maiores ou menores engulhos, o MEP está em Movimento e o nosso contributo será dado. Rumo à estrada, ouvindo Portugal. A todos, votos de uma excelente campanha eleitoral.
Também publicado no Eleições 2009.

2 thoughts on “A praxe aos novos partidos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.