Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0


Archive for May, 2008


No MEP vai-se discutindo a sustentabilidade da segurança social

Na sequência das Formiguinhas MEP eis um contributo operacional de um dos membros do MEP para “A sustentabilidade da Segurança Social”.

” (…) Sugere-se então, como procedimento que visa assegurar a sustentabilidade da Segurança Social (e do mesmo passo estimular a igualdade de condições de concorrência no mercado), a introdução de uma taxa sobre o VAB das empresas. Esta taxa só seria efectivamente paga caso o valor apurado fosse superior àquele já entregue pela empresa durante o ano relativamente às contribuições efectuadas sobre os salários dos trabalhador@s. O valor a pagar seria sempre calculado em termos de diferença relativamente ao valor já entregue de tais contribuições para a Segurança Social. Visto que a tendência é para que a riqueza gerada per capita seja cada vez maior, poder-se-ia inclusive considerar a possibilidade de, gradualmente, começar a desonerar as empresas do pagamento da Taxa Social Única (correspondente a 23,75% do salário do trabalhador) – esta medida poderia contribuir para estimular o emprego.”

Tiago Neves, artigo de opinião publicado no Sítio do MEP.

Não dispensa a leitura integral do artigo.
A ser seguida pelo MEP esta seria uma proposta “centrista” entre algumas sugestões “extremas” que por , ali e acoli (?!) vão surgindo.

Bertrand reedita obra de Vergílio Ferreira

O título deste post só é notícia seguramente para quem anda muito distraído das lides editoriais lusas. É o meu caso, há por aí mais alguém?
É desta que “ataco” o resto da obra que ainda não lhe conheço.
Via Da Literatura.

As formiguinhas MEP (actualizado)

MEP - Melhor é possívelNos bastidores, em vários grupos de trabalho com contributos de membros cada vez mais representativos de todas as regiões do país, vai-se construindo o projecto político do MEP, fiel aos princípios que já anunciámos publicamente.
Em paralelo, continuam as acções de recolha de donativos – notem que nem um euro do Estado é entregue a qualquer proto ou novo partido antes de este concorrer a eleições -, as acções de divulgação, bem como a imprescindível recolha de assinaturas junto dos nossos concidadãos.
O processo de contacto na rua revela parte dos sentimentos dominantes que podemos encontrar pelo país. Desde a descrença arreigada, tantas vezes amargurada e ressentida em relação a tudo o que mexa e tenha a ver com “política”, à curiosidade e ao apoio entusiástico perante este esforço de criar e oferecer um partido diferente, apostado em regressar à política feita de, com e para as pessoas comuns, particularmente motivadas, crentes que com as suas competências e perante o acompanhamento próximo que têm tido da vida política nacional conseguirão fazer muito melhor.
Os sete eixos basilares do MEP vão assim ganhando substrato em políticas sectoriais. Não é ainda tempo de se apresentar um programa político integrado e compreensivo mas aos poucos algumas medidas que se impõe pela sua urgência, necessidade e marca distintiva, vão surgindo publicamente.
Algumas delas serão hoje apresentadas em Mafra.
—————

No próximo dia 12 de Maio terá lugar em Mafra pelas 21h15 uma sessão pública do MEP.
A apresentação será feita no Hotel Castelão (sala convento), na Av. 25 de Abril. Consulte aqui o mapa.

Junte-se a nós!

Acaba a Campeonato

1) Denoto uma maior sensibilidade da actual direcção do Sporting, ouvidos mais limpos de cera com consequências directas na vivência do clube, naquelas pequenas coisas que podem simplificar ou enfernizar a vida de quem é mais do que espectador de um jogo de bola, sentado em casa. É este o rumo, há um longo caminho.

2) Daqui a pouco termina o campeonato de futebol da 1ª divisão nacional. O Sporting, capaz do melhor e do pior, corre o risco de terminar a época sem uma única derrota em casa. Um genuíno caso de Doctor Jekil, Mister Hide. Se a “média” resultar num segundo lugar, estaremos perante uma época que entrará no TOP 25 ou mesmo 20 da história do Sporting em termos de resultados.

3) Na época passada os bons resultados estiveram reservados para os jogos fora, este ano para os jogos em casa. E para o ano? A desgraça total ou o melhor dos mundos?

4) Aquele que é da há alguns anos para cá um clube que tem fincado pé nalgumas diferenças de atitude e na definição de alguns objectivos pouco comuns na tradição bacoca dos clubes de futebol nacionais (defesa dos princípios da decência, rectidão e honestidade desportiva), vê perante corruptos e corruptores, mentirosos e devedores, castigos de menos. Mas este é o caminho; espero nunca ter de passar pela vergonha que hoje cobre adeptos do Futebol Clube do Porto e do Boavista. Quase todas as dúvidas se legitimam com esta nódoa inoportuna.

5) Como nota final, um abraço aos adeptos do Belenenses que vêem na mesma época a sua equipa ser penalizada de igual modo que o F.C do Porto: menos 6 pontos para crimes tão distintos. Outra vergonha.

Bassim Schuaip, um amigo, a necessitar de ajuda urgente.

Chegou à caixa de comentários:

“Bassim Schuaip, um amigo, a necessitar de ajuda urgente.
Por favor a sua atenção:

http://cheiroapolvora.blogs.sapo.pt/9890.html

Se achar por bem, coloque um link no seu blog e envie aos seus amigos.

Muito obrigado
Cristina Damazio”

De 20 a 69 euros, curioso número

Quem precisa dos Gatos Fedorentos…
Ainda que seja “apenas” um quadro da administração pública (e não um funcionário público) também aguardo esta punch line, daqui a dez anos ou daqui a 7, se em cada outro ano estiver no top 25% do sítio onde trabalho, provavelmente. O jornalista não deve ter percebido bem, só pode. Com este cenário não será seguramente necessário liberalizar o despedimento no Estado para reduzir o número de funcionários públicos.

“João Figueiredo explicou aos jornalistas que a proposta do Governo de transição para o novo regime de carreiras e de grelha salarial assegura que, quando ocorre uma mudança remuneratória, o trabalhador nunca poderá receber menos de 20 euros e poderá chegar a um ganho de 69 euros, avança a «Lusa».”
(…)
Para o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) esta proposta do governo não é minimamente aliciante para os trabalhadores, «que poderão estar 10 anos à espera da progressão para receber mais 20 euros».”

Uma Cerdeira é uma Cerejeira

E porque as ditas são muito cá de casa,
E porque a Estrela e a Gardunha são para mim desejadas linhas do horizonte,
E porque o João me deu uma dica,
aqui fica:

“Os Caminheiros da Gardunha e o Teatro Clube de Alpedrinha, integrado na Festa da Cereja – 08, organizam no dia 18 de Maio de 2008 a caminhada “NA ROTA DO CARDEAL DE ALPEDRINHA”.”

E elas já andam por aí. Para já em torno do 5€ o quilo mas com promessa de doces prazeres um pouco mais em conta a cada dia que passa. Com cumprimentos do Fundão.

Banco Corrido

Paulo Pedroso tem um novo blogue (ainda que mantenha a colaboração com o ressuscitado Canhoto). Chama-se Banco Corrido.
Permitam-me destacar dois textos de Paulo Pedrosos sobre matéria distintas que julgo merecerem a leitura. Um sobre o triunvirato Russo e a questão do acesso à energia no relacionamento entre a Rússia e o resto da Europa: a torneira é uma arma. O outro sobre alguns indicadores de uma globalização/integração europeia feita à medida tomando como exemplo as disparidade de circulação de pessoas entre Portugal e a Roménia.

Para quem gosta de cromos

Saiu hoje um cromo novo no Jornal de Negócios. Diz que é uma espécie de economista perguntador:
O seu banco sabe avaliar o risco?

Os videos que se seguem são da exclusiva responsabilidade dos intervenientes

Isto só lá vai com um Buraka em cada esquina.



Os contemporâneos, numa televisão perto de si.