Quem andou atento às notícias económico-desportivas terá ouvido falar da possibilidade de nos oferecermos para organizar (ou sermos convidados a) o próximo mundial de futebol na eventualidade de uns problemitas organizativos que têm ocorrido no país escolhido (a África do Sul) se agravarem.

Estaremos perante uma forma de pressão ainda velada que em boa verdade poucos considerarão como mais do que uma mera piada (pelo menos neste momento).

Ainda pesquisando os arquivos e dei com uma outra piada sobre o Mundial e a herança do nosso Euro 2004 que aqui deixei há quase um ano. Recordando:

"Vendem-se!

"Estádios de Futebol com provas dadas em grande competição internacional, como novos, a preços de ocasião.

Encontram-se em exposição em Loulé, Aveiro e Leiria. São conjuntos integralmente desmontáveis. Garantimos a instalação em qualquer local do planeta onde haja amantes do futebol. Temos serviço especial de entrega na África do Sul."

Será que ninguém pega nesta ideia? É que eles são mesmo desmontáveis, senão integralmente, quase."

Infelizmente ninguém pegou (ainda) nesta peregrina ideia mas hoje chegou à estampa da edição on-line do Diário Económico uma outra bem simpática que, além de abordar os problemas de organização do Mundial, discorre sobre a herança do Euro 2004 em jeito de lança em África. Fica um excerto:

Empresa portuguesa constrói estádio para o Mundial 2010

Construtora do Tâmega vai fazer estádio em Durban para o Mundial na África do Sul.

Mónica Silvares

A Construtora do Tâmega, uma das empresas responsáveis pela construção do Túnel do Marquês, é uma das empresas portuguesas que já garantiu a presença no Mundial de futebol de 2010 na África do Sul. Através da parceria que têm com a sul africana Stefanutti & Bressan, a empresa foi subcontratada para a construção do estádio de Durban e está a tentar agora repetir a proeza na Cidade do Cabo.

(…)  A Construtora do Tâmega está actualmente a abrir um escritório em Durban, mas mantém o máximo clima de secretismo sobre os seus projectos, sendo por isso impossível saber o valor do investimento em causa. O que se pode saber é que o estádio de Durban é um projecto avaliado em 2,5 mil milhões de rands, ou seja, cerca de 264 milhões de euros e terá a capacidade para 60 mil espectadores.

Mas as oportunidades de negócio para as empresas portuguesas vão muito além dos estádios, cuja construção até já foi adjudicada. Jonathan Naidoo garante que a província de Kwazulu Natal está a fazer “um forte lobby para acolher o ‘hub’ de comunicações para o campeonato na cidade de Durban”. Para além disso, a província vai construir um novo aeroporto (projecto avaliado em 316,78 milhões de euros) e expandir o porto de Durban (cerca de 528 milhões de euros). (…)"

E esta hem?

1 thought on “

  1. Pingback: » O cluster dos Estádios

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.