Do jornalismo de causas, ou como não embarcar em cauboiadas sem analisar bem a questão II

(continuação

Mais uma vez agradeço a João Paulo Meneses (que acabou por ser a minha "fonte" para o acordão do Caso Esmeralda). Este jornalista-blogger é aliás um dos nomes que posso perfeitamente incluir na minha mini-lista de preferências no jornalismo português contemporâneo. Juntar-lhe-ia, só a titulo de exemplo e para não repetir as sugestões já dadas: Pedro Coelho (da SIC, porque ainda não fui capaz de lhe ver uma reportagem má) e Sérgio Anibal (porque tem escrito artigos interessantes e tecnicamente superiores sobre economia e finanças, do melhor que li nos últimos meses, no Diário de Notícias).

Felizmente, poderia concordar com a larga maioria dos nomes referidos, até ao momento, pelos leitores que já participaram (obrigado!) no desafio de um post anterior (e facilmente acrescentaria alguns mais; bastaria espreitar os arquivos do Adufe):

Adelino Gomes, José Pedro Castanheira, Candida Pinto, Maria Flor Pedroso, Mário Crespo, Carlos vaz Marques, Francisco Sena Santos, Fernando Alves, António Soares, Teresa Firmino, Manuel Carvalho, Sérgio Figueiredo, José Manuel Fernandes e ainda "os jornalistas desconhecidos que tentam manter o jornalismo naquilo que ele deve ser (sério e honesto) e passam completamente despercebidos".

Passem pela caixa de comentários, deixem as vossas referências e apreciem os qualificativos que por lá outros deixaram. Há excelentes jornalistas em Portugal e nós sabemos distingui-los. Que seja cada vez mais assim…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.