Adufe 5.0

As armas do meu adufe não têm signo nem fronteira
Random Image

As armas do meu Adufe,
não têm signo nem fronteira.

Bem-vindo ao Adufe 5.0


Archive for September, 2006


Carris? Buc you! (actualizado II)

Não há nada (pior) do que recomeçar a labuta com um choque de "urbanidade".

Antes de ir trabalhar desloquei-me ao posto de atendimento da Carris para me desfazer dos 7 BUC (bilhetes pré-comprados) da Carris que esta empresa vai substituir por um cartão com chip integrado (o Sete Colinas). Conseguem imaginar o que é que podia correr mal? Eu não consegui. Gato escaldado em troca de bilhetes com a Carris fui o caminho todo congeminando sobre o que é que podia correr mal.

A Carris já anunciou publicamente que aceitava a conversão dos BUC em novas viagens no Sete Colinas, por isso o que é que podia correr mal?

Eis o que é que pode correr mal:

CADA UTENTE SÓ PODE TROCAR 4 BUC.

Excerto do diálogo tido com a funcionária:

Eu: E se vier amanhã posso trocar o resto?

Ela: Pode.

Eu: Espere! E se eu deixar que atenda esta senhora e depois lhe pedir para me trocar o resto dos BUCS posso?

Ela: Pode.

Eu: Portanto o único problema é trocar mais do que 4 de uma vez?

Ela: Certo.

Eu: E já agora, posso requerer mais do que um cartão Sete Colinas por pessoa?

Ela: Claro que pode. Quantos quer?

Kafka anda à solta e o resto é chuva miudinha. 

Adenda:

Estive a matutar nesta representação de Kafka e fiquei desconfiado que um tipo na Carris apercebeu-se que 5 ou mais BUCs equivalem a 10 ou mais viagens. Ora uma viagem custa 0,75 € (1,5 € por BUC) mas no novo cartão Sete Colinas 10 ou mais viagens tem direito a desconto caindo o valor unitário para 0,665 €. Assim, se o cliente trocar mais do que 4 BUCS tem o hipotético direito a receber a diferença entre, por exemplo, as 10 viagens do BUC que pagou (7,5€) e os 6,65 € das 10 viagens no Sete Colinas. A chatice é que no cartão Sete Colinas a compra de 5 viagens (2 BUCS e meio) já têm desconto ficando o preço unitário abaixo dos 0,75€ (cerca de 0,70 €), por isso a minha teoria cai por terra. Sinceramente preferia que me carregassem as viagens na quantidade e cartão que eu entendesse ao preço que já paguei por elas. O preço desceu para grandes quantidades? Porreiro, mas não preciso do "troco" de volta. Vai-se a ver e tudo não passa de algum problema no software de controlo de gestão por centros de custo ou coisa que o valha. Hiulariante mesmo seira se a Carris tivesse alguém na sua estrutura a trabalhar em algum serviço com o pomposo nome de CRM – Customer Relationship Management. Enfim, uma embrulhada com resultados absolutamente ridículos e negativos para a imagem e serviço da Carris e dos transportes públicos. Detalhes… a somar a outros.

Adenda II: 

Informam-me agora que só se fazem trocas de BUC virgens… Ou seja, se por ventura já utilizou uma das duas viagens disponibilizadas pelo seu BUC o melhor é usar a outra até ao final de Outubro. Não precida se a usar até lá? Então dei-te o bilhete para o lixo ou ofereça-o a um desconhecido.  Se não é virgem não dá direito a  ser convertido em suporte magnético. Mais um detalhe…

weblog.com.pt

Como saberão não descontinuei o adufe.pt, ficou suspenso, votei com os pés. Entretanto o AEIOU diz que a coisa ainda mexe e topei com a seguinte piscadela de olhos (ver excerto). Para já fico de atalaia e pela Irlanda, no futuro logo se vê…

" (…) Há algum tempo, mudámos de opinião e decidimos construir, assim que possível, de raíz, a nossa plataforma. Por dois motivos: porque acreditamos que somos capazes de desenvolver uma plataforma nova, com as virtudes desta e das outras, e sem as suas fragilidades. E porque o preço que na prática estamos a pagar pelas fragilidades desta poderá ser maior do que o preço de fazer uma nossa. A nova plataforma entrará em desenvolvimento no final de Setembro.
Estará pronta… quando aqui viermos dizer que está pronta.

Até lá, contamos com a compreensão dos mais pacientes… e com uma segunda oportunidade, dos que entretanto tenham decidido experimentar outro serviço.

Até lá, manteremos o nosso esforço com a actual plataforma, e não deixaremos de implementar uma ou outra melhoria, sempre que possível. (…)"

weblog.com.pt

Como saberão não descontinuei o adufe.pt, ficou suspenso, votei com os pés. Entretanto o AEIOU diz que a coisa ainda mexe e topei com a seguinte piscadela de olhos (ver excerto). Para já fico de atalaia e pela Irlanda, no futuro logo se vê…

" (…) Há algum tempo, mudámos de opinião e decidimos construir, assim que possível, de raíz, a nossa plataforma. Por dois motivos: porque acreditamos que somos capazes de desenvolver uma plataforma nova, com as virtudes desta e das outras, e sem as suas fragilidades. E porque o preço que na prática estamos a pagar pelas fragilidades desta poderá ser maior do que o preço de fazer uma nossa. A nova plataforma entrará em desenvolvimento no final de Setembro.
Estará pronta… quando aqui viermos dizer que está pronta.

Até lá, contamos com a compreensão dos mais pacientes… e com uma segunda oportunidade, dos que entretanto tenham decidido experimentar outro serviço.

Até lá, manteremos o nosso esforço com a actual plataforma, e não deixaremos de implementar uma ou outra melhoria, sempre que possível. (…)"

3108 posts

3106 posts. É esta a oferta acumulada em 15 dias segundo a minha lista de blogues seguidos (via bloglines) que tenho para ler. Já dá um livrito jeitoso…

As férias foram curiosas, bem medievais até certo ponto e hilariantes nos contactos com a vidinha oferecida por sóis e espessos, por exemplo. Enfim, salvaram-se os adufes, umas pedaladas, caminhadas e lufadas de ar, tudo em família como também convém. Muita serra caminhada graças ao teu Deus.

Vamos a uma breve leitura, então.

O lastro

A minha alma está parva. Com quase 3 meses de inactividade o Adufe.pt continua a receber entre as 400 e as 500 visitas diárias. Apenas uma fracção mínima se deve a visitantes que preguiçosamente ainda não actualizaram a ligação para o novo Adufe 3.0 e que passam por aqui para chegar ali. A grande maioria vem por cá encaminhada pelos motores de busca e pelo que vejo nem todos vêm ao engano. Os arquivos permanecem até o pessoal do AEIOU o entender. De vez em quando venho cá limpar o pó. Voltem sempre.

Um blogue regional por dia não sabe o bem que lhe fazia

Hoje aldrabo o tema do título, já aqui repetido algumas vezes, e promovo esta ligação: o roteiro do concelho de Penamacor da Câmara Municipal local. Bonitinho e informativo, não acham?

Bye! Até daqui a duas semanas! 

0,9% de PIB

"Produto Interno Bruto cresceu 0,9% em volume no 2º Trimestre de 2006


O Produto Interno Bruto (PIB) português registou no segundo trimestre de 2006 uma variação homóloga de 0,9%, em termos reais, em ligeira desaceleração face ao período anterior. A variação face ao 1º trimestre foi de igual dimensão (0,9%). As Exportações de Bens e Serviços continuaram a registar um elevado crescimento em volume (7,6%), o que, paralelamente à desaceleração das Importações de Bens e Serviços, se traduziu num elevado contributo da procura externa líquida para o crescimento do PIB (2,6 pontos percentuais). Por outro lado, a procura interna contraiu-se 1,5% em termos reais face ao período homólogo, o que derivou sobretudo da quebra do Investimento, mas também da desaceleração das Despesas de Consumo Final das Famílias Residentes. Este resultado poderá ter sido influenciado por efeitos de base associados à antecipação de compras ocorrida no 2º trimestre de 2005 com a alteração da taxa normal de IVA."

Mais detalhes aqui
 
Adenda: Escreve-se no Jornal de Negócios (15h06m) que "A portuguesa registou uma expansão de 0,9% no segundo trimestre deste ano (…)". De facto, A Portuguesa tinha mais umas quantas estrofes quando foi escrita tendo apenas sido mantidas algumas como Hino Nacional… Não sabia é que se ia recuperar algum verso adicional… A versão completa de A Portuguesa pode ser encontrada aqui.
Um excerto: 

" (…) Desfralda a invicta Bandeira,

À luz viva do teu céu!

Brade a Europa à terra inteira:

Portugal não pereceu

 

Beija o teu solo jucundo

O oceano, a rugir de amor,

E o teu Braço vencedor

Deu mundos novos ao mundo!

 

Às armas, às armas!

Sobre a terra, sobre o mar,

Às armas, às armas!

Pela Pátria lutar

Contra os canhões marchar, marchar! (…)"  

A revista Forbes

Quando é que a Revista Forbes que identifica as 500 pessoas mais influentes do planeta se apercebe da importância do Sr. e da Sra. Alguém neste planeta? É seguramente quem controla o futebol Mundial e talvez mesmo o futebol português.

Pedaço de Siena – a caminho dos moinhos de vento

"(…) A foto tirada aos dois cavaleiros de ferro teve lugar em Siena, no passado dia 16 de Agosto, durante o Pálio da Assunta, a famosa competição equestre que ocorre de dois em dois anos. Ganhou um cavaleiro de carne e osso laranja e verde, do Bairro "Floresta", como se pode ver pela notícia (http://www.corriere.it/Primo_Piano/Cronache/2006/08_Agosto/16/paliovince.shtml); uma confusão que vale a pena testemunhar ao vivo )

Abraço, e boas férias!

Cláudia Vicente (quatrocaminhos.blogspot.com/o-amigodopovo.blogspot.com)  " 

A saga das aldrabas continua agora em Siena (um destino na wishlist cá de casa) pela simpatia da Claudia Vicente que nos fez chegar mais um par por e-mail.

Pois é, ao fim do dia começam umas muito desejadas férias. O regresso far-se-á no final do mês, em princípio com algumas novidades blogosfericas na manga. Até lá fiquem bem e bem hajam.

P.S.: Ainda cá regresso com novidades do PIB mais daqui a pouco. 

A ler

"Sobre um comentário de Amartya Sen" pelo João Pinto e Castro no Blogo-Existo.