Paixão

Os anos passam e Paixão é sempre o mesmo, regular como um relógio: um bizarro paradigma da arbitragem nacional, futebolesmente falando. Nada de confusões: Bruno Paixão, o mesmo que aqui recordamos numa prosa do Terceiro Anel que já soma dois anos.

Desta vez o Sporting teve melhor sorte e continua, continua, continua… 

Enfim, uma vitória que valeu por uma goleada.

3 thoughts on “Paixão

Comments are closed.