Um enquadramento energético sólido

" (…) Um passo nuclear no sentido da auto-subsistência eléctrica resultará na melhor sustentação da nossa produção industrial, como num acréscimo à nossa posição competitiva no mercado energético ibérico.
Reduzir a dependência da nossa capacidade produtiva face a terceiros só poderá passar pela consolidação de uma base de subsistência nas energias solar, eólica e nuclear. Especializações tecnológicas da produção nacional necessitam de um enquadramento energético sólido. O futuro passa pelo futuro e dele depende a margem competitiva de Portugal.
"

Gonçalo Curado in Central Nuclear