Monthly Archives: November 2005

Outra forma de arrogância cultural

Um dia um professor de filosofia (do secundário), depois de ter entregue os resultados de mais uma prova, chegou-se ao pé de dois alunos e afirmou perentoriamente: vocês andaram a ler Mircea Eliade!
Nenhum dos alunos sabia de quem ele estava a falar. Cobardemente responderam-lhe com ambiguidade e rebolaram a rir assim que o filosofo virou costas.

Até hoje não li uma linha do dito cujo. Se isto não é ser arrogante…

Ota sim! 9º Capítulo

Verso: 

A Ota, localizando-se a norte de Lisboa, terá capacidade para servir melhor mais população do que a que seria servida por um Aeroporto localizado na margem sul do Tejo. Com a construção da Ota e com a ligação rápida entre o Porto e a Ota, via TGV, o Aeroporto de Pedras Rubras (Sá Carneiro que me perdoe) não deverá exigir grandes investimentos no futuro.

Reverso:

Barajas continuará a conseguir concorrer particularmente pelo tráfego aéreo da área do novo aeroporto de Lisboa. TGV dix it. O risco é levado, ainda que o desfecho não seja absolutamente certo. Barajas fica a 15 km do centro de Madrid. Tem engarrafamentos pontuais no acesso à cidade mas tem também estação de metro no próprio aeroporto.

Virgilio Poltronas 

Ota sim! 8º capítulo

Verso: 

Quem se desloque para a Ota de automóvel vindo de Norte poderá utilizar a já existente A1. Quem vier de sul utilizará uma autoestrada quase paralela à A1 (a A10) cuja construção está já prevista.

Reverso:

Ó xô guarda, onde é que estaciono, lá no cima da serra ou ali no meio do rio?

Virgilio Poltronas 

A minha única certeza

Não votarei em Cavaco Silva. O exemplo de hoje brilhantemente avaliado pelo Miguel Silva é apenas mais um lembrete de que recomendo a leitura.

" (…) As declarações de Cavaco revelam uma análise muito distorcida da realidade. A terem sido produzidas de boa fé, são um indicador das suas fraquíssimas capacidades para analisar a realidade. A sua visão do que o rodeia é curta. Demasiado curta para quem tem aspirações a ocupar lugares políticos de relevo. Talvez seja um técnico competente. Talvez. Mas foi esta falta de visão que fez dele um mau primeiro-ministro e há-de fazer dele, se for eleito, um mau presidente. Não se trata, nesta questão, de arrogância cultural. Trata-se de mérito e capacidade para estar à altura dos cargos desempenhados. Ou, mais concretamente, da ausência dessas características.

Parece razoável…

"A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) diz que o Banco Central Europeu (BCE) deve manter a taxa de juro inalterada na reunião desta semana, numa altura em que a inflação tem abrandado e a economia da Zona Euro tem dificuldades em se fortalecer." escreve-se no Jornal de Negócios.

Mas haverá efeitos monetários (devido à forte disparidade dos juros nos EUA e na Europa) que sirvam de argumento suficiente para contrabalançar esta aparente (?) razoabilidade? As explicações do BCE dadas até ao momento não são muito convincentes…

Ota sim! 7º capítulo

Verso:

Na Ota o combóio dedicado demorará 30 minutos a chegar a Entrecampos (47 km). Em Rio Frio teria de se construir uma nova ponte. Sem ela a viagem teria de se fazer pela 25 de Abril e o percurso até Entrecampos (51 km) demoraria 45 minutos "pela impossibilidade de utilização de comboios rápidos".

Reverso:

Mas não vamos construir a ponte para o TGV chegar a Madrid? Quanto demoraria (e custaria) se se fizesse um shuttle para Rio Frio? E já agora por onde vai passar a linha que há-de vir da Ota?  Pela ultra saturada linha do Norte (na entrada de Lisboa)?

Virgílio Poltronas 

Ota sim! 6º Capítulo

Verso:

Nos estudos da Ota não estão previstos parques de estacionamento para automóveis. O automóvel é um transporte sem futuro, porquê reservar terrenos ou verificar se estão disponíveis e quais os custos de edificação para promover peças de museus destruidoras do meio ambiente? À Ota só se chegará de Avião ou de Combóio.

Reverso:

Lindo dia, não? 

Virgílio Poltronas