Fazendo sínteses (act.)

Depois da moeda forte / moeda fraca de Cavaco gostei de ler ontem “Sobressalto Cívico Precisa-se” de A. Santos Silva que, fazendo a alerta para o perigo e para a história do discurso crítico crónico – sublinhando a relevância do mensageiro -, não se esquece de deixar os dois mais importantes recados a ter em conta pelo PS e pelos seus apoiantes.
Deixo apenas um grãozinho quanto à questão do mensageiro e da sua legitimidade: não andará Mário Soares muito próximo de Cavaco Silva quando destaca a corrupção como o maior problema nacional, incluindo no interior dos principais partidos? Não fazia mal nenhum não exagerar na reacção e interiorizar um bocadinho de legitimidade das críticas procurando alterar o estado da arte no seio dos partidos, digo eu, não sei…

Li igualmente com interesse “Arzinho de Herdeiro” de V. Pulido Valente (ambos no Público). Duas análise que ganham em ser lidas em sequência.