Vá atão

Disseram-me que o “Então vá” que têm colado como tique lisboeta para terminar uma conversa afinal não é tão alfacinha quanto isso.

Pensando bem lembro-me de na Beira-Baixa se preparar o fim de conversa com um “Vá atão!” que era polidamente rematado pela outra parte com o “Atão vá!”.
Tias de Lisboa uma ova!
Então vá.

“Uma ova”… de onde virá esta?

A resposta II

Esqueceram-se dos Açores meus amigos e notem que o conceito de residente excluiu, em muitos casos, os estudantes deslocados.
Devido à estrutura etária não ser tão envelhecida, são essencialmente concelhos dos Açores que registam o menor rácio de pensionistas por residentes.

Com apenas 11 pensionistas por 100 residentes temos Vila Franca do Campo seguida de Lagoa (11,3), Vila do Porto (11,4), Ribeira Grande (11,5) e finalmente, já no continente, Paços de Ferreira (12,8).

Curiosidades estatísticas II

Mantendo-nos na demografia mas piscando o olho à sustentabilidade do sistema de segurança social – quase – vamos lá a saber se alguém acerta na pergunta que se segue:

Em 2000, o concelho do país que tinha o menor rácio pensionista por residente contava com 11 pensionistas por cada 100 residentes. Bem menos de metade da média nacional… De que concelho falamos?
Dica: não é Lisboa (35), nem o Porto (28), aliás, não tem nada a ver…