Apenas na Newsletter

Como o Paulo Gorjão parece não ter certezas quanto à sua opção pela newsletter atrevo-me a ir além das piadolas que já aqui deixei.

Acho muito nobres as justificações que aponta para a existência de uma newsletter, terão a sua utilidade mas parece-me que o Paulo, se de facto não tem qualquer objectivo mercantilista para um futuro próximo, perde mais do que ganha.
Porquê os conteúdos disponíveis apenas na Newsletter? Porquê forçar o leitor a ter que receber os seus textos no e-mail?
Eu por exemplo gosto de os ler no blogue, não tenho interesse em recebê-los no correio, em esgotar ainda mais facilmente a minha quota de megabytes no servidor. E além disso até prezo alguma aleatoriedade na leitura, uns dias apetece-me ler outros não, acho piada ir visitar alguém em vez de ter uma consulta ao final do dia.
É uma mania minha, mas desde que o Bloguítica passou a ter newsletter passei a ler apenas fragmentos e em breve advinho que deixarei em absoluto de ler o Paulo. Estou fartinho do formato e-mail, leio demasiados todos os dias. Gosto de passear pelos templates dos blogues, espreitar as novidades.
Quanto ao retorno basta ter um endereço de e-mail disponível e introduzir comentários no blogue. A ferramenta do Movable Type, por exemplo, pode ser teimosa exigindo que só se consiga fazer um comentário mediante a indicação de um contacto, por exemplo (facilmente ultrapassável).
Então e a polémica como fica? Exclusivamente bilateral?
Em suma, tenho pena que sejam estas as regras do novo jogo da Bloguítica…

P.S.:Aqui no Adufe, por exemplo, quem quiser ser avisado da existência de um novo post pode fazê-lo registando-se num campo para o efeito, disponível na coluna da direita.