A Aba Recicla (act.)

Depois da rajada de artigos e a discussão que por aqui passou sobre reciclagem (ver o arquivo de Ecologia e Natureza) recupero o tema fazendo eco de um texto hoje publicado na Aba de Heisenberg que reflecte sobre o tema acrescentando alguns dados.
O texto do Sérgio que recomendo conclui:

(…) Tudo isto é algo simplista porque nem todos os alimentos podem ser postos nos mesmo tipo de embalagem. Mas não deixa de ser interessante verificar que as embalagens de vido reutilizáveis são melhores, em termos ecológicos, que as Tetra Pack, mas quase ninguém pôe leite em embalagens de vidro reutilizáveis, porque o consumidor se habituou a consider as embalagens Tetra Pack muito mais cómodas, resistentes e higiénicas. A falta de lógica disto pode ver-se com o vinho embalado em garrafas de vidro. E, finalmente, a irracionalidade do consumismo e do desperdício encontra-se no facto das garrafas de vinho não serem reutilizáveis como foram em tempos.

Mais informação (sem ser exaustivo) Reduce, Reuse, Refill, Evaluation costs of directive 94/62/EC e os comentários a este estudo. Há também uma tese de mestrado portuguesa sobre o assunto das embalagens de Paulo Jorge Trigo Ribeiro. É um estudo exaustivo que vale a pena ler, e cujas conclusões são algo diferentes das que escrevi acima.

Termino sublinhando a tese de mestrado referida. Num leitura diagonal pareceu-me muito interessante, propondo algumas respostas a perguntas sobre o impacto ambiental dos diversos tipos de materiais utilizados nas embalagens.

Paulo Jorge Trigo Ribeiro termina a sua tese lançando um desafio que assenta bem, por exemplo, à comunidade de economistas e de insdustriais:

“No seguimento do presente trabalho recomenda-se uma extensão do âmbito do mesmo e introduzir a componente económica na avaliação, o que permitirá definir mais concretamente o tipo de políticas a adoptar para reduzir os impactes ambientais de um modo mais eficaz e eficiente em termos económicos.
Seria útil desenvolver casos concretos de aplicação do conceito de eco-design em que se inclua conjuntamente as componentes ambientais e económicas, de modo a servirem como casos de estudo para demonstrar à indústria portuguesa a importância da existência de políticas inovadoras no sector das embalagens. Estes estudos teriam obviamente de ser promovidos e desenvolvidos em a colaboração com a indústria nacional.”

1 thought on “A Aba Recicla (act.)

  1. Sérgio Rodrigues

    Caro Rui
    Não tinha reparado que muito do que falei já tinha gerado uma interessante discussão que registou no Adufe. Estou a lê-la e vou já citá-la como apêndice do texto do Aba.

    Sérgio

Comments are closed.